Responsabilidade social empresarial: o valor social produzido pelas empresas de capital aberto no estado do Maranhão

Published 2023-10-06

  • Kelvin Felipe Guedes
  • ,
  • Hugo Leonardo Menezes de Carvalho


PDF

Keywords: responsabilidade social empresarial, valor social, Maranhão

Abstract

O presente artigo tem como objetivo analisar a relação existente entre as práticas de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e o valor de mercado das empresas, notadamente aquelas que possuem sede de atuação no Estado do Maranhão. Isso porque, segundo a Teoria dos Stakeholders, as empresas precisam alinhar os seus interesses aos anseios e expectativas de todos os agentes com quem ela se relaciona. Com isso, espera-se que a perspectiva de atuação das empresas não seja pautada apenas para seus acionistas, mas sim no alinhamento e harmonização com o que esperam os stakeholders, mas existem dúvidas de como os gestores decidem e priorizam acerca desse alinhamento. A valorização de mercado é uma importante variável de geral de valor para os acionistas. Para tanto, realizou-se regressão linear múltipla com amostra de 28 empresas listadas na B3, em que a variação do preço das ações foi a variável resposta e o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3) a variável independente principal junto com outras de controle. Os resultados evidenciaram que, para o período analisado, houve significância estatística para a relação testada, mas que a correlação encontrada foi diferente daquela esperada. Isso pode indicar que as práticas de RSE das empresas estejam relacionadas a outros indicadores que não a valorização de mercado. Apesar disso, destaca-se ainda que, para a realidade do Estado do Maranhão, as três empresas escolhidas para análise mais detalhada (Vale, Equatorial e Grupo Mateus) ainda possuem ações tímidas em termos de práticas de RSE direcionadas às carências das localidades e comunidades do Estado.


References

  1. AHMED, S.U.; ISLAM Md., Z.; MAHTAB, H.; HASAN, I. Institutional Investment and Corporate Social Performance: linkage towards sustainable development. Corporate Social Responsibility and Environmental Management -Mgmt., v.21, n.1, p.1-13, 2014.
  2. ANDRADE, L. P.; BRESSAN, A. A.; IQUIAPAZA, R. A.; MOREIRA, B. C. M. Determinantes de adesão ao Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa e sua relação com o valor da empresa. Revista Brasileira de Finanças, v. 11, n. 2, p. 181-213, 2013.
  3. ASHLEY, P.; QUEIROZ, A.; CARDOSO, A.; SOUZA, A.; TEODÓSIO, A.; BORINELLE, B. et al. Ética e responsabilidade social nos negócios. Rio de Janeiro: Editora Saraiva, 2003.
  4. BECCHETTI, Leonardo; GIACOMO, Stefania di; PINNACCHIO, Damiano. Corporate social responsibility and corporate performance: evidence from a panel of us listed companies. Applied Economics, [S.L.], v. 40, n. 5, p. 541-567, 2008.
  5. BEZERRA-DE-SOUSA, I. G.; MORAIS-DA-SILVA, R. L.; TAKAHASHI, A. R. W.; SEGATTO, A. P. O valor social gerado por empresas sociais: reflexões a partir de uma meta-síntese. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo (SP), v. 13, n. 2, p. 75–92, 2020.
  6. BORGES, Marcos Sérgio Souza. Gestão do orçamento Empresarial em Projetos de Investimento de capital no Setor de Mineração no Brasil: Análise da Empresa VALE S.A em São Luis do Maranhão. Dissertação de Mestrado, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, ULHT, Portugal, 2015.
  7. BOWEN, Howard R. Social Responsibilities of the Businessman. University of Iowa Press, 2013.
  8. BRONSTEIN, Michelle Muniz. Levantamento Bibliométrico: Governança Corporativa, Teoria da Agência e Teoria dos Stakeholders no Campo da Administração. Revista Cadernos de Negócios, v. 1, n. 1. 2021.
  9. CARMO, L.O.; Evolução da Responsabilidade Social Empresarial e a Introdução ao Caso Brasileiro. Revista de Administração Geral. v.1, n.2, p.118-137. 2015.
  10. CARNEIRO CATRIB, I.; ANTONIO CAVALCANTE DE OLIVEIRA JÚNIOR, M.; ANDRÉ DA ROCHA GARCIA, E. Marketing e teoria dos stakeholders: Uma revisão de literatura a partir da Web of Science. Refas - Revista Fatec Zona Sul, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 43–68, 2022.
  11. CARROLL, A.B. The pyramid of corporate social responsibility: toward the moral management of organizational Stakeholders. Business Horizons, v.34, n.4, p.39-48, 1991.
  12. DART, R. The legitimacy of social enterprise. Nonprofit Management & Leadership, v. 14, p. 411-424, 2004.
  13. DAVIS, K. The case for and against business assumption of social responsibilities. Academy of Management Journal, v. 16, p. 312–322, 1973.
  14. DMYTRIYEV, Sergiy D.; FREEMAN, R. Edward; HÖRISCH, Jacob. The Relationship between Stakeholder Theory and Corporate Social Responsibility: differences, similarities, and implications for social issues in management. Journal Of Management Studies, [S.L.], v. 58, n. 6, p. 1441-1470, 2021.
  15. FREEMAN, R. Edward. Strategic management: a stakeholder approach. Boston: Pitman, 1984.
  16. FREEMAN, R. E.; HARRISON, J. S.; WICKS, A. C.; PARMAR, B. L; DE COLLE, S. Stakeholder Theory: The State of the Art. New York: Cambridge University Press, 2010.
  17. FRIEDMAN, A. L; MILES, S. ‘Developing stakeholder theory’. Journal of Management Studies, v. 39, p. 1–21, 2002.
  18. GOMES, H. B.; GONÇALVES, T. J. de C.; TAVARES, A. de L. Intangibilidade e o valor da empresa: uma análise do mercado acionário brasileiro. Revista Catarinense da Ciência Contábil, [S. l.], v. 19, 2020.
  19. GOMES, A. C. L. Ação coletiva no espaço social ludovicense: a greve dos funcionários do Supermercados Mateus. In: 17º Congresso Brasileiro de Sociologia, 2015, Porto Alegre, 2015.
  20. GRIECO, C; MICHELINI, L; IASEVOLI, G. Measuring Value Creation in Social Enterprises. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v.44, n. 6, p. 1173–1193, p. 2014.
  21. GUJARATI, Damodar N. Econometria básica. Rio de Janeiro: Campus, 2006.
  22. HILL, Carter; GRIFFITHS, William E.; JUDGE, George G. Econometria. São Paulo: Saraiva, 2006.
  23. JENSEN, Michael. Value maximisation, stakeholder theory, and the corporate objective function. European financial management, v. 7, n. 3, p. 297-317, 2001.
  24. MCWILLIAMS, A.; SIEGEL, D. S. Corporate social responsibility: A theory of the firm perspective. Academy of Management Review, v. 26, p. 117–127, 2011.
  25. MILANI, B.; RIGHI, M. B.; CERETTA, P. S.; DIAS, V. V. Práticas de sustentabilidade, governança corporativa e responsabilidade social afetam o risco e o retorno dos investimentos?. Revista de Administração da UFSM, v. 5, n. edição especial, p. 667-682, 2012.
  26. MONTEIRO, Líbia Gomes; OLIVEIRA, Sônia Maria Queiroz de; RODRIGUES, Suely Maria; DIAS, Carlos Alberto. Responsabilidade social empresarial: inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Educação Especial, [S.L.], v. 17, n. 3, p. 459-480, 2011.
  27. NICHOLLS, A. We do good things, don’t we? Blended value accounting in social entrepreneurship. Accounting, Organizations and Society, v. 34, p. 755-769, 2009.
  28. OMETTO, M. Paola; BULGACOV, Sergio; MAY, Márcia Ramos. A Efetividade dos Estrategistas da Responsabilidade Social Empresarial. Organizações & Sociedade, [S.L.], v. 22, n. 74, p. 423-441, 2015.
  29. PRONI, Thaíssa Tamarindo da Rocha Weishaupt; PRONI, Marcelo Weishaupt. “Discriminação de gênero em grandes empresas no Brasil”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 26, n. 1, e41780, 2018.
  30. PWC. Governance Insights Center, ESG in the boardroom: What directors need to know, 2021.
  31. REZENDE, I. A. C.; NUNES, J. G.; PORTELA, S. S. Um estudo sobre o desempenho financeiro do Índice Bovespa de Sustentabilidade Empresarial. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 2, n. 1, p. 71-93, 2008.
  32. SAUSEN, Juliana da Fonseca Capssa Lima; BAGGIO, Daniel Knebel; BRIZOLLA, Maria Margarete Baccin. Responsabilidade Social em Tempos de Pandemia: análise de estratégias de cooperativas gaúchas a partir da teoria dos stakeholders. Revista de Administração Imed, [S.L.], v. 11, n. 2, p. 47, 2021.
  33. SERPA, D. A. F.; FOURNEAU, L. F. Responsabilidade social corporativa: uma investigaçăo sobre a percepçăo do consumidor. Revista de Administração Contemporânea, v. 11, n. 3, p. 83-103, 2007.
  34. SOUZA, J. C; BRUNO-FARIA, M. F. Processo de Inovação no contexto organizacional: uma análise de fatores facilitadores e dificultadores. Revista Brazilian Business Review, v. 10, n. 3, p. 113-136, 2013.
  35. TEIXEIRA, L. S. Responsabilidade social empresarial. Brasília: Câmara dos deputados, 2004.
  36. TEIXEIRA NETO, J. M. F.. Uma revisão da Teoria dos Stakeholders e principais pontos de controvérsias. Revista Brasileira de Administração Científica, v.10, n.2, p.1-16, 2019.
  37. ZAPPALÀ, G; LYONS, M. Recent approaches to measuring social impact in the third sector: An overview (Background Paper No. 5). Centre for Social Impact, 2009.

How to Cite

Guedes, K. F., & de Carvalho, H. L. M. (2023). Responsabilidade social empresarial: o valor social produzido pelas empresas de capital aberto no estado do Maranhão. International Journal of Scientific Management and Tourism, 9(6), 3224–3246. https://doi.org/10.55905/ijsmtv9n6-001

Download Citation

Current Issue


MOST READ LAST WEEK

Keywords